Ecosapiência

Reflexões contemporâneas

Archive for the ‘Ecologia’ Category

Serra do Cipó

leave a comment »

Enfim uma pequena viagem a trabalho para a Serra do Cipó. Chegou a hora de encontrar novamente meu objeto de pesquisas. Dar um oi e me despedir antes da defesa da tese de doutorado, que se aproxima. Espero que os campos rupestres e toda a sua circularidade me ajudem a equilibrar a sopa e terminar algo que tem me tirado o sono… Quero ver com meus olhos e buscar a inspiração para terminar essa etapa. De agora em diante espero atualizar mais este espaço – puxei o aplicativo wordpress para smartphones e pretendo escrever por aqui, onde quer que eu esteja. Até!

20120123-124721.jpg

Anúncios

Written by newtonulhoa

23 de janeiro de 2012 at 12:47

Publicado em Ecologia

O rato

with one comment

Primeira gravura de 2011.

"O rato" (carvão sobre papel 210mm x 297mm)

Creative Commons License
“O Rato” by Newton P. U. Barbosa is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.

Written by newtonulhoa

28 de janeiro de 2011 at 16:01

Publicado em Ecologia

A chegada dos Europeus – parte I, entre espíritos e Ecologia

with 2 comments

O que é Edmonton?

A milênios atrás a região do rio Saskatchewan do Norte já era habitada por povos indígenas que cruzavam o vale do rio para caçar e pescar. Na região de Edmonton o povo mais influente eram os “Blackfoot” ou Pés Negros. Os Blackfoot se reúnem em torno de uma confederação chamada “Niitsítapi”, que significa “o povo original”. Suas terras iam desde o rio Saskatchewan do Norte até o vale do rio Yellowstone, nos Estados Unidos. Eram guerreiros. Fortes. Muitas reservas indígenas podem ser encontradas em Alberta e Montana. Os Blackfoots ainda realizam as misteriosas e maravilhosas cerimônias nativas americanas, cercadas de espíritos, plantas e esperanças.

"Bear Bull"

Mais ao norte, se aproximando do círculo polar ártico e dos ursos polares, encontramos os Inuit. São os povos esquimós. Bonitos, introspectos, reféns da natureza gélida.

Jovem Inuit

Entretanto um dia qualquer chegaram os Europeus. Com seu deus domesticado, suas cruzes, suas roupas estranhas, suas comidas horríveis (com todo o respeito, a culinária inglesa é vergonhosa), sua moral e sua ganância. Primeiro trocaram alguns bens, fizeram comércio com os nativos.

Encontro entre colonos e nativos no lago Athabasca, Alberta, 1893. Fonte: Canada Archives

Comerciante de peles de Alberta, ~1890. Fonte: Wikipedia

O comércio de peles foi um negócio importante para os colonos de Alberta. Por incrível que pareça foi importante para a ciência da Ecologia. Uma das mais antigas corporações do planeta em atividade, a “Hudson Bay Company”, fundada em 1670, era quem dominava o comércio de peles na América do Norte. Em 1937, um pesquisador chamado Duncan Alexander Mac Lulich, publicou um artigo científico intitulado “Fluctuations in the numbers of varying hare (Lepus americanus)”, um estudo sobre a flutuação no número de indivíduos nas populações de lebre no Canada. Ele utilizou dados de caça de peles de lebre da Hudson Bay Company. Este trabalho ajudou a consolidar a famosa equação de Lotka e Volterra, ou predador-presa, indispensável no estudo de Ecologia.

Written by newtonulhoa

28 de janeiro de 2011 at 02:17

Depósito de neve de Edmonton

leave a comment »

Eu tenho falado muito sobre a enorme quantidade de neve que caiu aqui em Edmonton em janeiro. A cidade amanheceu, a alguns dias atrás, com quase um metro de neve nas ruas! Mas para onde vai esta neve toda? Só em janeiro, a prefeitura já coletou mais de um milhão de metros cúbicos de neve das ruas. Em um inverno normal, segundo matéria do Edmonton Journal, os tratores removem cerca de 800.000 metros cúbicos de neve. A cidade conta com 5 depósitos, mas eles estão praticamente lotados. No brasil sempre ouvimos falar sobre os problemas dos aterros sanitários com limite excedido. Aqui os ultrapassados são os depósitos de neve.

Como a prefeitura também joga areia nas ruas (como eu já disse, para aumentar o atrito e prevenir acidentes), a neve coletada vai para os depósitos cheia de areia. Quando a primavera chega e a neve derrete, a areia fica e é reciclada para o próximo inverno. Uma operação gélida. Tentei colar um vídeo do jornal de Edmonton aqui, mas ele não cola de jeito nenhum. Os únicos vídeos que entram aqui são do youtube, não sei porque. Vocês podem ver um vídeo que mostra os depósitos de neve de Edmonton clicando aqui.

Written by newtonulhoa

25 de janeiro de 2011 at 14:40

Publicado em Ecologia

Deu na Nature News

leave a comment »

Screenshot do site da Nature News (clique na imagem para ir para lá)

A Nature, uma das mais conceituadas revistas científicas do mundo, publicou ontem, através do seu hotsite de notícias – Nature News, um artigo que não poupa elogios aos 8 anos de governo Lula. Segundo a reportagem, nunca a ciência recebeu tantos incentivos no Brasil quanto nos últimos anos. Um paradoxo, pois durante os anos FHC, que é um acadêmico respeitado, as universidades públicas minguaram e as bolsas de doutorado e mestrado praticamente não receberam correções. E foi durante o governo de um “semi-analfabeto”, como dizem alguns, que a coisa mudou. Caetano Veloso, com suas músicas que eu amo (e gosto mesmo das músicas dele, mesmo achando ele um porre de chato), nunca faria isso pela ciência. Afinal ciência pra ele é alquimia.

A porcentagem do PIB aplicado à ciência teve um crescimento exponencial a partir de 2003, como vocês podem ver no gráfico abaixo.

Porcentagem do PIB aplicado à Ciência entre 2003 e 2008

As pessoas me perguntam: “Porque você gosta do Lula?”. Não estou cego aos vários casos de corrupção que existem por ai. Mas puxar o tapete do PT agora seria uma covardia. São muitos os bons exemplos desse governo e se colocarmos a administração tucana e a petista numa balança, eu que sou um jovem cientista, fico com o PT. Minhas lágrimas naquela tarde chuvosa de Brasília no primeiro dia de 2003 não foram em vão.

Written by newtonulhoa

30 de setembro de 2010 at 23:12

Publicado em Ecologia

O Bisão

with 5 comments

Edmonton não é uma cidade com belas paisagens naturais, como montanhas ou mar. Mas tem seus encantos. Neste sábado acordei um pouco desanimado, morrendo de saudades da Cacá e o melhor que eu poderia fazer é bater perna por ai. Decidi procurar pela famosa carne de alce ou de bisão. Aqui no hostel me disseram que eu poderia encontrar essas carnes no mercado dos fazendeiros, o “Old Strathcona Farmers’ Market”. Fui até lá e me surpreendi.

The Old Strathcona Farmers' Market

Música, hippies, comida, artesanato. Não é muito grande, mas é interessante. Cheio de cheiros gostosos, diferentes. Verduras lindas, orgânicas. Comida ucraniana, chinesa, canadense. Cereais, doces, muffins. Carne de porco, boi, frango, alce e bisão! Como não tenho freezer no hostel, optei por comprar apenas um bom bife de bisão desta vez, deixando o alce pra semana que vem. Sim, eu iria comer carne de bisão. Para acompanhar, cenouras orgânicas e rúcula também orgânica.

O bife que comprei era um “striploin steak”, que para nós é o que seria, mais ou menos, o filé de costela e/ou a capa de filé.

Bison striploin steak

Almoço de sábado no hostel

Frigideira, azeite e sal. O sabor é bem forte, me lembrando um pouco do filé de alpaca que eu e a Cacá comemos em Lima a dois anos atrás. Uma delícia! Na próxima semana, filé de alce. Beijos pra vocês!

Algo como um chouriço de bisão

Written by newtonulhoa

25 de setembro de 2010 at 20:41

Publicado em Ecologia

Sufoco

with 2 comments

Sim, sufoco! Foi o que eu passei ontem aqui em Edmonton.

No fim da tarde estive na casa de um amigo. Ele divide a casa, um basement, com um amigo. Este amigo tem um cachorro “pug”. Esse cachorro fugiu vizinhança afora. Tivemos que ir atrás dele. O problema é que esse cachorro encontrou uma rodovia. Essa rodovia tem um trânsito intenso. E o safado do pug desandou a correr no meio dos carros em alta velocidade.

Tenso. Foi um momento tenso. E não é que eu, brasileiro, a menos de duas semanas no Canadá, saí correndo estrada a fora, a parar os carros? Com os braços em riste, gritando “nooo”, “nooo”! Muitos carros quase colidiram uns com os outros, muitos derraparam, eu quase fui atropelado.

Mas salvei o cão. Na verdade uma cadela chamada Mi Mi.

Depois de tudo, quando o bichinho entrou em casa e fechamos a porta, eu não podia acreditar no que tinha acontecido! Hoje eu sonhei com a Mi Mi correndo por toda Edmonton. Tenso.

Written by newtonulhoa

19 de setembro de 2010 at 02:26

Publicado em Ecologia